Apartamento na planta: será que compensa?

apartamento na planta
6 minutos para ler

A vontade de investir no setor imobiliário faz com que os brasileiros busquem diversas opções, sobretudo em função dos altos valores que são praticados nesse segmento para imóveis dos grandes centros urbanos. Diante dessa realidade, o apartamento na planta surge como uma alternativa diferente, mas será que ele realmente compensa?

O fato é que, apesar de todos os atrativos amplamente anunciados pelas construtoras e por eventuais descontos no preço final, esse tipo de unidade também pode ter algumas desvantagens importantes, que implicam em riscos e até mesmo gastos extras. Continue lendo e aprenda mais sobre o assunto!

Afinal, o que é comprar um apartamento na planta?

Antes de mais nada, é preciso compreender o conceito real de um apartamento na planta. Como o próprio nome já diz, esse é um tipo de propriedade que já tem o seu projeto pronto e elaborado por uma construtora, mas que ainda se encontra na fase de obras ou, dependendo do caso, ainda nem começou a ser edificado.

A ideia é que, a partir da venda de algumas unidades, a empresa se capitalize para levar a construção à frente ou até mesmo inicie novos empreendimentos. Como há um risco inerente de atrasos na entrega ou mesmo de que o cliente fique a ver navios, os preços costumam ser mais baixos, o que atrai pessoas que têm dificuldades em juntar dinheiro.

Quais as desvantagens em comprar apartamento na planta?

Agora que você já entendeu um pouco melhor sobre o conceito de apartamento na planta, chegou a hora de conhecer as principais desvantagens que esse tipo de aquisição pode proporcionar para um cliente desavisado. Confira.

Risco de atraso ou desistência

Como dissemos anteriormente, uma das desvantagens em comprar apartamento na planta é que o cliente acaba arcando com um grande risco. Você já deve ter lido na mídia ou pode até conhecer alguém que começou a pagar as prestações para a construtora, preparou a mudança e acabou tendo problemas, porque a obra não foi entregue no prazo.

Quando você faz esse tipo de negócio, você sempre dependerá da capacidade da empresa de gerenciar e de finalizar a obra no tempo determinado pelo contrato. Além disso, ainda há a possibilidade de que existam problemas com a metragem, o acabamento e outros detalhes, fatos que você só verá quando receber sua unidade.

Localizações menos nobres

Outro problema de apartamentos na planta é que, para que a empresa construa um empreendimento desse tipo, é comum que seja preciso buscar bairros mais distantes e, na maioria das vezes, menos valorizados. Especialmente nas grandes cidades, quem pensa em comprar ou alugar um imóvel em área nobre, precisa buscar algo pronto.

A maioria dos terrenos e lotes livres já estão todos ocupados, senão por condomínios, edifícios e casas, por centros comerciais, estacionamentos e outros estabelecimentos do tipo. As cidades-satélites ou localizações mais remotas acabam sendo as únicas alternativas de endereços paras construções mais novas.

Tamanho do imóvel e custos extras

Também não dá para negar que os empreendimentos residenciais mais recentes primam por um estilo de vida muito dinâmico, que nem sempre atende às necessidades de quem é mais tradicional ou tem famílias numerosas, por exemplo. Nas unidades na planta, os cômodos costumam ser pequenos e até as paredes são mais finas.

Outro ponto que não pode ser menosprezado são as despesas extras que podem surgir. Como tudo tende a ser muito básico, você poderá ter que pagar um pouco mais para deixar o piso do jeito que você gosta, mudar as tonalidades das paredes ou mesmo utilizar materiais mais valorizados, como madeiras nobres e aço inox.

Quais as outras possibilidades de comprar um apartamento?

Além do apartamento na planta, existem outras alternativas. Confira quais são elas a seguir!

Comprar à vista

Existem diversos tipos de investimentos diferentes com os quais você pode tentar adquirir um imóvel. Um deles e, possivelmente, o mais conhecido do público geral, se trata da compra à vista. O grande problema é que, com os preços praticados na maioria das cidades do Brasil, isso acaba sendo inviável para muitas pessoas.

Financiamento

Uma vez que comprar à vista é quase impossível para boa parte da população, muita gente acaba partindo para o financiamento. Nessa opção, você pega um empréstimo a juros teoricamente baixos e vai pagando em muitos anos, por meio de prestações. Os pontos negativos incluem as exigências de aprovação e o montante final elevado.

Consórcio

Você pode comprar um apartamento por meio de um consórcio e essa é uma alternativa que vem ganhando adeptos recentemente. Nesse caso, não existe a incidência de juros, mas você não sabe quando poderá adquirir o imóvel, pois dependerá de ser contemplado no sorteio. Além disso, também precisa pagar a taxa da administradora.

Leilão

A possibilidade de comprar um imóvel em leilão já é muito utilizada em muitos países, mas somente agora começa a ganhar mais espaço no Brasil. Além de ser uma maneira rápida e dinâmica de adquirir um bem, você pode achar ótimas oportunidades e acabar pagando um preço muito abaixo do mercado, mesmo por excelentes unidades.

Por que comprar apartamento em leilão é a melhor opção?

Você não deve ter pensado ainda sobre essa alternativa, mas comprar um apartamento em leilão pode ser justamente o que você procurava. É uma forma bastante interessante de conseguir aquele imóvel que você sempre desejou, mas por um valor que pode ser bem abaixo daquele estipulado pelo mercado imobiliário de sua região.

Muitas das unidades que são colocadas à venda chegam a esse ponto para suprir alguma dívida ou problema judicial do antigo proprietário. Dessa maneira, os donos não têm muitas escolhas e precisam vender.

Como você pôde ver, o apartamento na planta nem sempre é a melhor opção e, dependendo do caso, você pode adquirir um imóvel incrível por meio de um leilão, sobretudo se contar com a segurança e a expertise de uma empresa que entende desse segmento!

Gostou de conhecer melhor a possibilidade de comprar um apartamento na planta? Quer receber outros conteúdos como esse em primeira mão? Então siga as nossas redes sociais para continuar nos acompanhando. Estamos no YouTube, Facebook e Instagram.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-