Como precificar um produto para revendê-lo em leilão?

como precificar um produto
6 minutos para ler

Um dos principais motivos para uma pessoa tomar a decisão de fazer uma compra é o preço que ela vai pagar. Essa quantia indica não só o valor do produto, mas também o custo-benefício que o comprador terá com aquilo que está adquirindo. Portanto, antes de colocar algo à venda é importante saber como precificar um produto.

A precificação de um produto traz uma identificação sobre o valor daquele produto, de acordo com sua qualidade, atratividade e lucros que pode gerar, bem como a competitividade entre os fornecedores. Quando é uma venda em leilão, esse preço é ainda mais importante, pois vai ser o ponto principal para os lances dos compradores e a finalização da compra.

E muitas vezes, pessoas que têm itens parados em casa e querem colocá-los à venda para garantir um dinheirinho extra, mas não sabem muito bem como colocar esses preços. Portanto, continue por aqui e veja algumas dicas que podem te ajudar bastante nessa tarefa, ainda mais para vendas em leilões. Vamos lá?

Como precificar um produto para venda em leilão?

Se você levar em consideração os fatores mais adequados e entender como funciona esse processo de precificação, pode ter certeza de que dar preço aos seus produtos vai ficar muito mais fácil. Veja só o que deve ser levado em conta!

Custo do produto adquirido

O primeiro item a ser levado em consideração é o custo do produto. Afinal de contas, houve um investimento da sua parte para adquirir aquele produto, como um imóvel, um veículo, algum eletrônico, entre outros itens que são encontrados para venda em leilão.

Portanto, avalie quanto você gastou na aquisição desse produto. Existem pessoas que adquirem algum bem com um valor mais em conta e depois revendem em leilões para conseguir um lucro em cima da aquisição.

Isso acontece quando a compra é feita em um momento em que o mercado está mais desvalorizado. No caso de imóveis, por exemplo, quando você compra um terreno em uma localização pouco procurada, com o tempo aquele lugar pode se desenvolver e valorizar bastante, compensando muito uma possível venda daquele lote.

Por isso, é muito importante, independentemente do valor que você pagou, considerar quais foram os custos de investimento no produto na hora de fazer a precificação. E se você estiver vendendo um item usado, é necessário levar em conta a depreciação desse produto com o tempo, já que alguns itens vão se desvalorizando no mercado.

Gastos com reformas ou melhorias

É importante contabilizar também os gastos que você teve com a manutenção do produto, para ele permanecer em boas condições de uso, sejam eles serviços de reforma, sejam para melhorias.

Caso a venda seja de um imóvel ou um veículo, que de certa forma envolvem um investimento um pouco mais alto, é importante sempre manter esses bens conservados e em bom estado. Portanto, pode ser que você tenha gastos com reformas e manutenção em mecânicos, entre outros serviços.

Margem de lucro desejada

Depois de analisar quais foram os custos e as despesas envolvidos no investimento que você fez, chegou a hora de definir qual é o lucro esperado com a venda do seu bem. A política de preços não deve ser voltada apenas para cobrir os gastos, mas também para trazer certo lucro para o vendedor.

Não existe um passo a passo específico sobre como definir essa margem de lucro, então é importante que você tente entender o mercado, sobre como ele anda em relação à venda de produtos semelhantes ao seu e como a concorrência tem feito a precificação.

Vale lembrar que preços muito baixos podem trazer prejuízo e valores muito elevados afastam os clientes. O ideal é encontrar um meio termo que seja atrativo para todos, com vantagens para o comprador e uma margem de lucro para você.

Público-alvo

Também é muito importante conhecer o público com o qual você vai lidar nessa venda. Em leilões o público pode ser muito variado, porém, no caso de leilão de imóveis e carros, o comprador será alguém em busca de adquirir a primeira casa ou o primeiro carro, bem como algum investidor.

Então, é importante que você saiba o que essas pessoas entendem como valor e quanto elas estão dispostas a investir. Dentro desse parâmetro, você pode apostar em um preço que agregue todos os aspectos que devem ser considerados.

Mercado

É preciso entender como anda o mercado, para que seja possível agregar um valor correto ao produto que será vendido. Portanto, você deve acompanhar o tipo de venda que os concorrentes estão praticando e o tipo de preço que os compradores mais procuram.

No mercado de leilões online, essa concorrência é ainda mais acirrada, pois você está lidando com vendas na internet. Então é necessário avaliar muito bem como anda o mercado, ainda mais quando se trata de bens imóveis ou de carros, que geralmente são mais caros.

Quando alguns desses itens vão ser vendidos em leilões, normalmente o preço pode ser menor do que é colocado no mercado tradicional, porém com a disputa, o anunciante pode vender por um valor maior do que determinou, para conseguir fechar o negócio de forma mais fácil. Portanto, vale avaliar também esse parâmetro na hora de precificar.

Por fim, para que sua venda conquiste alguns compradores interessados, você deve sempre trabalhar com transparência, seja na composição do preço, seja no momento de fazer o anúncio. Tente trazer o valor real do produto, que se enquadre no custo que ele teve e nos gastos para manutenção, bem como o possível lucro que você vai ganhar.

Para que essa precificação não se torne um desafio, basta seguir todos esses passos, ficando atento a todos os fatores que devem ser considerados. Com certeza você estará fazendo uma venda justa e que traga vantagens para todos os envolvidos.

E aí? Gostou de aprender um pouco mais sobre como precificar um produto? Se quiser ver mais assuntos como este, aprenda a vender na internet!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-