Leilão de carro: entenda como funciona e por que vale a pena!

leilão de carro
7 minutos para ler

Com a alta dos preços no segmento automotivo, muitos consumidores têm mudado as soluções de aquisição de seus veículos. Sendo assim, elaboramos este post fundamental à conscientização desse comprador, que está em busca do melhor negócio possível. Como você perceberá nesta leitura, abordamos todas as dúvidas recorrentes sobre o leilão de carro.

Afinal de contas, será que vale a pena, quais as vantagens, quem pode participar? Estas são apenas algumas das curiosidades respondidas e, ao final do conteúdo, você estará pronto para participar da modalidade, conquistando o veículo ideal. Acompanhe!

As principais curiosidades sobre um leilão de carro

A um primeiro momento, o público alvo dos leilões automotivos abraça a todos aqueles que estão em busca de uma boa oportunidade, atendendo de revendedores a pessoas comuns que visam economizar. Por isso, não há motivos para se excluir dessa modalidade, sendo fundamental que se aprenda tudo o que ela pode te oferecer. Veja!

A principal vantagem

Na “boca do povo”, os leilões são consagrados por sua maior virtude: a possibilidade de se fechar negócios muito abaixo do preço de mercado. Apesar dessa qualidade relevante, muitos consumidores ainda se sentem receosos em experimentar a modalidade, com preocupações causadas pela falta de familiaridade com o assunto.

Até certo ponto, isso é perfeitamente natural! Afinal de contas, o mercado automotivo brasileiro sempre foi altamente tradicional, habituando seus consumidores a apenas duas alternativas básicas, o financiamento e o consórcio.

Mas isso tem mudado consideravelmente, sobretudo em um momento de alta de preços no segmento, que motiva os compradores a buscarem alternativas que ofereçam mais por menos. É justamente aqui que entram os leilões, que são modalidades capazes de oferecer veículos com preços até 50% abaixo da tabela.

Os participantes

Agora, chega uma questão que aguça a curiosidade dos interessados: quem pode participar? Bem, o leilão é uma modalidade bastante acessível, mas conta com alguns requisitos mínimos para garantir seu funcionamento e transparência entre os participantes. Confira quais são essas exigências:

  • ser maior de 18 anos;
  • contar com CPF, RG ou CNH e, em alguns casos, comprovante de residência;
  • realizar um cadastramento prévio no site ou sede do leiloeiro responsável.

Pronto! Com isso, você garante a sua adequação legal para a participação da modalidade. Ainda assim, aqui cabe fazer um adendo, que apesar de não ser um requisito, é fundamental para a sua compreensão do evento. Leia o edital existente no portal do leiloeiro. Esse documento descreve todos os detalhes da modalidade, apontando suas obrigações e direitos no exercício do leilão.

Os leilões online

Já aqui, temos uma vantagem inerente aos leilões da era moderna. Provavelmente, você conhece aquela concepção básica de um leilão, que se vê nos filmes, não é mesmo? Várias pessoas em uma sala, ofertando seus lances na disputa por um mesmo objeto. O maior lance, vence o lote! Pois bem, é exatamente disso que se trata um leilão online, que troca a presença física pela participação digital.

Para tanto, o portal de leilões oferece uma boa plataforma online, que autentica a identificação de seus participantes que, então, estarão autorizados a realizarem seus lances do conforto de onde quer que estejam. Aqui, vale lembrar que a versão virtual do evento segue os mesmos parâmetros jurídicos e éticos do presencial, sendo, simplesmente, um meio digital para a realização dos negócios.

Inclusive, também vale lembrar que a popularização dos leilões virtuais trouxe a tona uma breve discussão sobre a combinação desses dois públicos: o digital o presencial. Sendo assim, hoje em dia é possível encontrar leilões mistos, com compradores realizando lances digital e presencialmente, além daqueles que são exclusivamente presenciais ou online.

Por fim, também é interessante notar que a popularização desse formato se dá por conta de um incentivo constitucional, uma vez que o Artigo 328 do Código de Trânsito Brasileiro aponta que os veículos apreendidos e não reclamados dentro de 60 dias serão leiloados, com realização preferencialmente eletrônica. 

O funcionamento da modalidade

De uma maneira geral, os leilões de veículos contam com alguns parâmetros básicos para sua realização, garantindo o funcionamento da modalidade e o padrão da categoria. Aqui, é importante que se entenda que:

  • os pagamentos são realizados à vista;
  • existe a comissão do leiloeiro, ajustada em 5% do valor do arremate;
  • havendo pendências, o comprador deverá regularizar estas antes de retirar o veículo;
  • todo tipo irregularidade, débitos e pendências estarão descritos na observação do lote;
  • caso não honre o pagamento do seu lance vencedor, você será incluso em uma lista que o proíbe por tempo indeterminado a participar de leilões.

Para além disso, o básico: o maior lance leva o veículo disputado, caso a expectativa de valor do vendedor seja atingida.

Os diferentes tipos de leilões

Por último, chega o momento de conhecer as principais categorias do leilão automotivo. Como perceberá, cada uma delas tem alguma particularidade, que geralmente está relacionada com a causa que levou o veículo a esse tipo de execução. Dê uma olhada!

Montadoras

Esses carros vão à leilão quando a fabricante está prestes a lançar uma nova geração, reconhecendo que o pátio ficará encalhado na tentativa de vender os modelos antigos frente as suas versões sucessoras.

Recuperação financeira

Os famosos leilões de bancos e instituições financeiras. Basicamente, o que houve a esses carros foi a inadimplência de seus antigos donos, que não conseguiram continuar com seus pagamentos.

Seguradoras

Esses leilões reúnem os veículos recolhidos pelas seguradoras, englobando os modelos recuperados de algum sinistro, como roubo ou furto. Por conta disso, podem existir danos pequenos ou grandes, dependendo exclusivamente da situação que levou esses carros ao pátio.

Órgãos públicos

Aqui, temos os leilões que reúnem os bens passivos das organizações públicas. Esses carros podem ser da frota de estatais ou setores do Governo Federal. Na grande maioria das vezes, essas unidades vão à leilão na premissa de que a frota será modernizada. Portanto, para gerar o caixa utilizado no pagamento da licitação dos novos veículos, os órgãos públicos levam as unidades usadas à leilão.

Pessoa Física

Por último e não menos importante, a categoria de leilões entre pessoas físicas. Essa modalidade tem crescido no gosto dos consumidores, por oferecer um método simples e transparente para se desapegar dos itens encostados na sua casa. Para tanto, basta se cadastrar em uma boa plataforma de leilões e pronto!

Com isso, você consegue atingir uma audiência gigantesca aos seus produtos, agilizando a venda de carros, eletrônicos e demais variedades. O mesmo vale para quem quer comprar: cadastrou, participou, comprou!

Por fim, cabe lembrar ao consumidor o maior ponto de atenção que se deve ter nesse setor: o cuidado ao escolher uma boa empresa de leilões. Afinal de contas, você precisa garantir que estará confiando o seu capital em uma organização comprometida com a sua conquista, que tenha reputação no setor como uma empresa de excelência.

Então, agora que você conhece mais sobre o funcionamento de um leilão de carro, já pode entrar em contato com a nossa equipe de consultores, eliminando todas as dúvidas restantes para se aproximar da sua aquisição. Para tanto, acesse o nosso portal e fale conosco!

Você também pode gostar

2 thoughts on “Leilão de carro: entenda como funciona e por que vale a pena!

  1. bom dia

    quais sao as implicações de arrematar um veiculo em leilões sobre resgtrições pelas seguradoras…(pergunta), pois h´pa v´parios comentártios que as mesmas não cobrem o vaklor pago em leilão e ainda tenho duvidas sobre o que significam os termos 1a. monta, 2a.monta e 3a. monta e o que implica em cada uma delas.

    apreciaria vossa explçicação pois assim eu poderia até me tornar um arrematador e prosseguir de forma ciente.

    grato,
    álvaro

    1. Olá, Alvaro!
      O valor que a seguradora irá indenizar o cliente em caso de sinistro depende de diversos fatores: os locais pelos quais o veículo circula, se é usado para trabalhar ou só para pequenos deslocamentos e também de quais tipos de leilão o veículo é proveniente. Em geral as seguradoras costumam pagar de 70% a 100% do valor de mercado pelo veículo, a depender da vistoria que fizerem.
      Inclusive, é proibido que a seguradora se recuse a fazer um seguro simplesmente por um veículo ser proveniente de leilão.

      E sobre a pequena, média ou grande monta:

      Quanto maior o nível, maior foi o acidente. Veículos de pequena monta normalmente têm pequenos riscos ou amassados, de média monta os danos são um pouco maiores, enquanto os de grande monta os danos à lataria e motor são consideravelmente maiores.

      Qualquer dúvida, você pode entrar em contato com a equipe da Vip Leilões pelo 4003 0024!

Deixe uma resposta

-