Como funciona o financiamento de veículos?

financiamento de veículos
6 minutos para ler

O financiamento de veículos representa a possibilidade de realizar o terceiro maior sonho dos brasileiros: ter um automóvel. É o que diz a pesquisa GEM 2018, na qual a compra de um carro é o desejo de 34% das 2 mil pessoas entrevistadas.

No entanto, para que esse sonho se torne realidade ou não venha a se tornar um pesadelo de endividamento, são necessários certos cuidados e algum conhecimento sobre o assunto. Afinal, financiar um carro é uma compra mais complexa, não só pelo cuidado que envolve a escolha do veículo como pelas taxas envolvidas em cada parcela. 

Elucidar as questões relacionadas a esse tipo de compra é o nosso objetivo neste artigo que você começa a ler. Não compre seu carro financiado sem lê-lo até o final. 

Como funciona o financiamento de veículos?

Em um país cujo salário-mínimo mal chega a R$ 1 mil e a renda média do trabalhador muitas vezes nem chega a isso, o acesso a bens de consumo duráveis é restrito. Dessa forma, o mercado encontra mecanismos para viabilizar a compra de ativos como casas, eletrodomésticos e, claro, veículos. Um deles é o financiamento, instrumento financeiro por meio do qual o saldo devedor da compra é pago em parcelas mensais.

Na maioria dos casos, o comprador paga um valor a título de entrada, pagando parcelado o valor restante. Em outros, o veículo é pago em parcelas fixas, sem entrada, o que leva os bancos e financeiras a trabalharem com taxas e juros mais altos.

Cabe destacar que, enquanto o valor total do carro não for pago, seu documento deverá constar a observação “alienação fiduciária”. Trata-se de uma restrição que sinaliza que o veículo não pode ter a sua propriedade repassada enquanto o pagamento de todas as parcelas junto ao banco não for concluído.

Quais são as vantagens de financiar seu veículo?

A compra financiada abre uma série de possibilidades para o consumidor, em especial para os que têm nome limpo e renda mais baixa. A principal delas é permitir a compra de um carro podendo utilizá-lo sem que esteja pago integralmente. 

Dessa forma, é possível, até mesmo, fazer do financiamento um tipo de investimento, já que se pode usar o carro como ferramenta de trabalho — dirigindo para aplicativos, por exemplo ou para revenda.

Não se pode deixar de destacar que o saldo devedor sempre pode ser pago de forma adiantada, o que pode até render descontos e abatimentos. Isso se aplica para quem pretende usar o carro para trabalhar, afinal, quando se é autônomo o dinheiro entra na medida em que se trabalha. 

Dependendo da financeira escolhida, há casos em que as taxas e o Custo Efetivo Total (CET) do financiamento saem a valores bem camaradas. Tudo depende de uma boa pesquisa e, claro, da credibilidade do local onde se pretende comprar o veículo.

Que riscos estão envolvidos?

O financiamento de veículos é um compromisso de longo prazo. Em alguns casos, é possível que o comprador permaneça por períodos de até 72 meses — 6 anos — pagando parcelas. Logo, todo cuidado é pouco para não se endividar.

A cautela se justifica porque uma compra feita sem planejamento ou no impulso sempre acaba mal. Nesse caso, não há outro desfecho que não seja a inclusão do nome do comprador nas listas de proteção ao crédito. Fora isso, é certo que ele terá o veículo apreendido pelo banco, que é um dos proprietários do carro até que receba a totalidade dos pagamentos.

Uma vez configurada a inadimplência, não apenas se perde o carro, mas o crédito na praça. Ainda que existam bancos que financiam para negativados, esteja certo de que isso só será feito mediante um custo que, no caso, é o aumento substancial das taxas e dos juros. Dessa forma, o devedor fica sem acesso ao veículo e a outros bens de consumo comprados a crédito. Um péssimo negócio, não?

Como se preparar para um financiamento?

Para evitar o endividamento e uma indesejável inclusão do nome nos órgãos de proteção ao crédito, o melhor mesmo é cuidar do planejamento financeiro. Isso significa elaborar um orçamento mensal e anual nos quais o pagamento das parcelas deverá estar previsto.

Nunca é demais lembrar que, embora as financeiras limitem a margem financiável a 30% da renda mensal, vale sempre se antecipar nesse sentido. Por isso, antes de assumir um parcelamento, procure estipular um valor que não prejudique o seu estilo de vida. Ter carro é bom, mas é preciso considerar que, junto com ele, vem uma série de custos com manutenção, impostos e combustíveis.

Além disso, vale fazer uma minuciosa pesquisa de mercado em busca de uma revendedora de veículos confiável e de uma financeira que trabalhe com taxas mais atraentes. Nesse aspecto, procure ver primeiro o CET associado à compra do veículo. Quanto menor, mais barato você vai pagar no final.

Qual o tipo de veículo pode ser financiado?

Escolher um carro que combina com seu perfil pode ser um desafio, ainda mais quando não se tem muita experiência no assunto. De qualquer forma, não importa muito o modelo ou o ano, já que praticamente todo carro de passeio pode ser financiado.

As exceções são os carros trazidos ao Brasil via importação ou de colecionador. Como são mercadorias vendidas sob condições especialíssimas, dificilmente se encontram financeiras que assumam o pagamento por esses veículos, embora isso não seja impossível.

O financiamento também é válido para carros que não sejam de passeio. Nessa categoria, enquadram-se caminhões, camionetes, vans e outros tipos de veículos cuja finalidade seja o uso comercial ou mesmo pessoal.

Dá para fazer online?

Tendo em vista que hoje é possível obter, até mesmo, crédito pela internet, espera-se que o mesmo se aplique na hora de financiar um carro. A boa notícia é que é possível fazer, pelo menos, a simulação e o pedido de financiamento. Logo, boa parte da burocracia pode ser adiantada pela web, restando apenas detalhes na hora de comparecer à concessionária.

Uma boa alternativa é comprar o carro online por leilão. Nesse caso, você precisará somente buscar pelo carro desejado em um dos pregões da VIP Leilões. O melhor de tudo é que são veículos com preços bem abaixo da média do mercado e que também podem ser pagos de forma parcelada.

Como se vê, o financiamento de veículos já chegou ao mercado leiloeiro e, nessa situação, quem sai ganhando é você. Seja para uso pessoal ou para revenda, tenha no leilão a melhor oportunidade para fazer um excelente negócio.

Gostou do que leu e quer conhecer essa modalidade de compra? Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre leilão!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-